06 março 2012

RESPONSABILIDADE

           A vida na Terra é repleta de percalços.


Ninguém passa a existência sem enfrentar desafios.


Os obstáculos destinam-se a fortalecer o homem, a testar a firmeza de seu caráter e a torná-lo melhor.


Nessa linha, problemas não são desgraças, mas lições.


A criatura deve mobilizar suas forças íntimas para superar as dificuldades com que se defronta.


A ninguém é lícito assumir atitude derrotista, desistindo previamente da luta.


Como o homem foi contemplado com o dom da inteligência, deve utilizá-lo para viver cada vez melhor.


Esse viver melhor não se refere a aspectos materiais.


A plenitude do viver constitui um conceito amplo, que engloba a consciência tranquila pelo dever bem cumprido.


Assim, é importante cada qual analisar sua própria vida.


Identificar suas dificuldades, materiais e morais, e assumir a responsabilidade por elas.


O homem necessita amadurecer para não atribuir a terceiros o ônus de resolver os seus problemas.


Demonstra infantilidade quem pretende que os outros sejam a causa de sua infelicidade.


É preciso cessar de culpar o governo, os pais, o chefe, os vizinhos ou a quem quer que seja.


Cada qual recebe da vida exatamente a tarefa necessária ao seu crescimento.


Como os homens são diferentes, os problemas que enfrentam também o são.


Na jornada pela eternidade, cada Espírito tem o que trabalhar em si.


Um necessita fortificar sua vontade na luta constante com dificuldades materiais.


Outro precisa desenvolver a paciência, perante familiares de difícil trato.


Um terceiro é carente de sensibilidade e vive às voltas com dores e enfermidades.


Há ainda quem deve resistir à tentação do orgulho e da vaidade e nasce em meio a riquezas.


A vida na Terra é uma escola.


Cada homem está às voltas com a sua lição.


Seu papel é mostrar-se digno e vigoroso em sua luta, e também auxiliar o próximo, pois todos são companheiros na jornada evolutiva.


Assim, não ceda à tentação de responsabilizar os outros pelo que lhe acontece.


Não imagine que alguém tem o dever de resgatá-lo de suas dificuldades.


Certamente a solidariedade é uma lei da vida.


Contudo, também a responsabilidade pelo próprio viver constitui uma regra a ser observada.


Seja vigoroso e determinado.


Trabalhe, estude, seja valente.


Cesse as lamentações e mobilize suas forças para atingir suas metas.


Não espere que ninguém faça sua tarefa.


Identifique e dome suas más inclinações.


Visualize a pessoa que você quer ser e faça o que estiver ao seu alcance para se tornar assim.


Mas preserve sua dignidade, pois de nada adianta uma falsa vitória.


Mais importante do que resultados materiais é a conquista e a preservação da nobreza de seu caráter.


Certas dificuldades são inevitáveis, mas você decide como se comportar perante elas.


Em qualquer circunstância, mire-se em bons exemplos.


O Mestre não desdenhou o trabalho duro, as viagens constantes com o sol a pino.


Conviveu com a ignorância e a beligerância, disciplinou almas rudes.


Enfrentou a dor e a morte, mas a tudo venceu.


A cruz representa as dificuldades que todo homem deve superar, preservando sua fidelidade no dever cumprido.


Pense nisso.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores